O ciclo do ministério profético

O ciclo do ministério profético

Ezequiel 3:1-11

Introdução: Ezequiel, “A Força de Deus ou Deus Fortalece”, de חזק, khazaq, “força”, e אל, el, “Deus”, foi um sacerdote que profetizou por 22 anos durante o século VI a.C., através de visões que teve durante o exílio da Babilônia, tal como registrado no Livro de Ezequiel. Ele é contado ao lado de Isaías e Jeremias entre os chamados grandes profetas.

Para realizar o ministério profético, não podemos quebrar o ciclo: chamado, preparo e missão. O chamado é de Deus, o preparo é oferecido por Deus, mas é responsabilidade da pessoa chamada e a missão é dada por Deus, mas executada pelo chamado.

No Novo Testamento, as cartas pastorais de 1Tm, 2Tm e Tito são orientações do apóstolo Paulo tratando do ministério cristão. Um dos destaques dessas cartas está em 2Tm 2:15, que diz: “procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade”.

O Senhor me disse:
“filho do homem, alimente-se com as minhas palavras, se prepare, se fortaleça, depois vá compartilhar com a nação de Israel”
Acrescentou:
“Filho do homem, coma bastante da palavra, do alimento que estou lhe oferecendo gratuitamente e encha bem o seu estômago”.
Então eu comi, e em minha boca experimentei uma doçura tal, qual como mel,
Assim é a Palavra de Deus, conforme vemos em Salmos 19:7-11.

O sábio recomenda, mostrando a grande vantagem de estar apegado aos ensinos da lei divina, Pv 3:1-2, 18, 23-26.

Depois me disse:
“Filho do homem, agora saia e vá ao meu povo de Israel e compartilhe as minhas palavras”.

Reconhecendo o chamado, tendo se preparando adequadamente, agora só resta cumprir a missão: levar a palavra de Deus para as pessoas.
Não significa que será fácil, por isso, o preparo é fundamental. Quando estamos bem preparados, conforme Salomão escreveu: “então você seguirá o seu caminho em segurança, e não tropeçará” (Pv 3:23).

Apesar de ser fácil comunicar com o povo de Israel, por falarem a mesma língua, este povo, apesar de estarem no cativeiro (v. 11), teria dificuldade em aceitar a Palavra de Deus através do profeta, talvez um povo de língua diferente poderia aceitar mais facilmente, v. 5, 6. Nem sempre as facilidades significam sucesso garantido, tanto quanto as dificuldades não significariam fracasso.

A nação de Israel estava com seu coração endurecido e obstinado, v. 7. Noutra passagem, Deus diz que ele estava indo como cordeiro no meio de lobos. Mas o profeta seria tão rígido quanto eles, v. 8.
A garantia da presença de Deus torna o profeta firme em sua missão, v. 9.
O papel do profeta era se manter fiel e apegado a voz de Deus, v. 10, levar Sua Palavra, independente da resposta que tivesse por parte dos ouvintes, v. 11.

As palavras ditas a Josué servem para nos estimular a realizar com eficácia a missão: “Tão somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo a Lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvie, nem para a direita, sem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares” (Js 1:7, 9).

O apóstolo Paulo deixou um exemplo para todos que realizam a obra de Deus: “Combati o bom combate, completei a carreira e guardei a fé” – notebem: combati, completei, guardei. E, acrescenta, “agora só me resta receber a coroa da vida, a qual o Senhor, justo juiz me dará naquele dia. E, não somente a mim, mas a tantos quantos amarem a sua vinda” (2Tm 4:7-8).

Deixe um comentário