Uma nova dimensão de vida

COMO VIVER UMA NOVA DIMENSÃO ESPIRITUAL

“Ao ouvirem isso, eles ficaram com o coração pesaroso e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Irmãos, que faremos? Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:37-38).

INTRODUÇÃO: Há alguns anos desmoronou uma ponte sobre um rio, numa das rodovias do Brasil Central. Um rapaz vendo a situação perigosa, resolveu ficar a uma distância segura para avisar os motorista que viessem por ali. Quando surgiu o primeiro veículo, um ônibus, o motorista não deu a mínima atenção aos sinais desesperadores do rapaz. Resultado: morreu a maioria dos passageiros e a tragédia foi grande. É muito importante considerar os sinais na estrada da vida. Estamos numa viagem para a eternidade. Há um caminho que leva para as eternas moradas celestiais, mas há também caminhos que parecem direitos, mas o fim será terrível, conduzindo ao sofrimento eterno.

TRANSIÇÃO: Quando Pedro no dia conhecido como “dia de pentecoste” sinalizou ao povo que estava reunido em Jerusalém, com respeito a necessidade de viver uma vida digna diante de Deus, superando a pecaminosidade que destrói e condena, eles perguntaram: “Irmãos, que faremos?”. O tempo voa. Os ponteiros marcham para a meia-noite. A raça humana está perto de dar o mergulho fatal. Que caminho tomaremos? Pode-se confiar em alguma autoridade? Há uma rota a seguir? Podemos achar algum livro de receitas que nos dê as chaves para nossos dilemas? Pedro, então, lhes passou a segura orientação para que pudessem desfrutar uma dimensão de vida vitoriosa.

Quero lhes apresentar o que é necessário fazer para edificar uma vida sólida e permanente dentro do propósito divino.

 

1)      ARRANCAR AS ESTRUTURAS DANIFICADAS PELO PASSADO PECAMINOSO

“Arrependei-vos…” é o brado não só de Pedro, mas do Evangelho de Jesus Cristo.

Na Guatemala, a tribo de índios Kekchi tem uma boa palavra para arrependimento, cujo sentido é: “dói meu coração”. Distante dali, no interior da África, a tribo Baouli tem um vocábulo talvez ainda melhor: “dói tanto que quero desistir disso”. Os índios Chol, do sul do México descrevem o arrependimento como “o coração volta atrás”. O termo grego “metanóia” significa: mudar a mente para melhor, emendar de coração e com pesar os pecados passados”. Essa é a tristeza descrita por Paulo como sendo “a tristeza segundo Deus, que opera a vida” (2Co 7:10).

Fazei veredas direitas. Romper definitivamente com a velha vida, superando os maus hábitos e costumes estranhos aos princípios divinos. Muitas coisas que foram feitas no passado criou uma porta de entrada para as maldições e demônios. Portanto, para que se tenha uma vida vitoriosa é preciso quebrar todos os altares levantados na vida física, sentimental e espiritual e, a partir daí, edificar novos altares que sejam dignos de uma vida arrependida, disposta a ser diferente.

O apóstolo Paulo deixou claro que “quem está em Cristo é nova criatura, as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo” (2Co 5.17). Noutra oportunidade ele disse que “devemos fazer morrer a nossa natureza pecaminosa” e “revestirmos de uma nova natureza, que segundo Deus é criado em Cristo Jesus”.

Romanos 6:6 “Pois sabemos isto: a nossa velha natureza humana foi crucificada com ele, para que o corpo sujeito ao pecado fosse destruído, a fim de não servirmos mais ao pecado”.

Efésios 4:22-24 “a vos despir do velho homem, do vosso procedimento anterior, que se corrompe pelos desejos maus e enganadores, e a vos renovar no espírito da vossa mente, e a vos revestir do novo homem, criado segundo Deus em verdadeira justiça e santidade”.

Qualquer experiência religiosa sem arrependimento e mudança de vida e comportamento não tem valor para Deus.

 

2)      ASSUMIR PUBLICAMENTE SUA DECISÃO EM SEGUIR A JESUS

“Sejam batizados”

O posicionamento espiritual de qualquer pessoa vai produzir evidências visíveis. Uma delas é a certeza de cumprir a justiça de Deus descendo às águas batismais. O batismo não salva, mas deve ser o testemunho de alguém que já passou pelo arrependimento, com o fim de viver numa comunidade cristã, seguindo os preceitos divinos, que conduzem a uma vida abundante.

Não deve haver qualquer atitude de receio quanto a assumir sua nova vida, o apóstolo Paulo deixou um exemplo bem claro com respeito a isso: “Porque não me envergonho do Evangelho de Jesus Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crer” (Rm 1:16).

O batismo é o ato público de iniciação na igreja. É o compromisso que a pessoa assume com sua comunidade. É necessário que haja participação ativa do membro em todas as programações da igreja. Jesus ordenou o batismo a todos aqueles que aceitassem os ensinos transmitidos através de seus discípulos. Mt 28:19 “Portanto, ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”; e deixou claro que após crer no Evangelho proclamado, deveria haver o batismo: “quem crer e for batizado será salvo…” (Mc 16:17).

O batismo representa a nossa participação nos atos redentores de Jesus. O termo significa “sepultamento”. Rm 6:4 “Portanto, fomos sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”.

O batismo não deve ser imposição de ninguém, mas um livre ato da vontade, haja vista que implica em responsabilidade e comprometimento com o corpo de Cristo, que é a igreja: “De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar” (At 2:41-47).

Num domingo, uma garotinha correu até sua mãe e disse:

– Mamãe, eu quero ir à Escola Dominical.

– Mas você não tem um sobretudo, e está muito frio! – replicou-lhe a mãe.

– Mas, mamãe – disse a pequena – se todos fizessem assim, ninguém iria à Escola Dominical.

Em seguida, tomou uma toalha, embrulhou-se nela e saiu.

A experiência dessa criança serve de exemplo para nós, a fim de que sejamos fortes e fiéis na assistência aos cultos. Se deixarmos de ir à Igreja uma vez, só nós notaremos; se deixarmos de ir duas vezes, a congregação notará a nossa falta; se deixarmos de ir muitas vezes, todo o mundo notará. Participar dos cultos divinos não é somente uma opção, é um dever de todo cristão. E para nosso proveito espiritual que frequentamos os cultos na casa de Deus; é o meio de graça para o nosso crescimento na vida cristã, Hb 10:25.

 

3)      ABRAÇAR COM FIRMEZA A UNÇÃO RENOVADORA DO ESPÍRITO SANTO

“Recebereis o dom do Espírito Santo”

A unção vai quebrar o jugo do seu passado. Permita ao Espírito Santo assumir o comando da sua vida. Ao receber esse Espírito, sua identidade cristã será evidente. 1 Jo 3:24 “E aquele que guarda os seus mandamentos nele (em Jesus) está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele (Jesus) está em nós: pelo Espírito que nos tem dado”. Rm 8:14, 16 “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus… O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”.

Pode-se viver uma vida religiosa fantástica e ir para o inferno, mas com a marca evidente do Espírito Santo haverá vitória sobre o pecado, o mundo, a morte, o diabo e o inferno.

É possível compreendermos como a vida cheia do Espírito é abundante, ao pensarmos na sua obra. Ele transforma o caráter, inspira o verdadeiro culto, ajuda os que buscam Cristo a encontrá-lo, comunica uma mente sã, vivifica todas as faculdades, dignifica e enobrece, faz lembrar a verdade, ajuda os discípulos na luta contra as forças satânicas, defende toda alma contrita, revela as coisas profundas de Deus, revela Cristo em Seus seguidores, coopera na proclamação da Palavra, habilita os homens para os deveres da igreja e lhes outorga dons prometidos na comissão evangélica, além de desenvolver em todos quantos o recebem, as maravilhosas graças, conhecidas como os frutos do Espírito, Gl 5:22-23.

1Co 15:54-58 “E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumprir-se -á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, {ou morte} a tua vitória?  Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”.

CONCLUSÃO: Todos os milagres realizados no corpo são passageiros, mas o novo nascimento é o milagre que salta para a eternidade. “Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam; porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17:30-31).

Pastor Wanderley da Silva

Deixe um comentário