Problemas e dificuldades

Todos nós temos problemas, dificuldades, barreiras a serem vencidas a cada dia. À medida que vamos vivendo, os desafios batem constantemente à nossa porta.

Com quem vou me casar?

Que profissão vou abraçar?

Onde vou fixar residência?

Compro ou não?

Vendo ou não?

Empresto?

Jogo fora?

Desisto?

Insisto?

Resisto?

Ufa! Tenho certeza de que estas questões e muitas outras fazem parte do seu quotidiano. Em muitas ocasiões, você se sente imobilizado, sem saber que rumo tomar. Você fica embaraçado. O desemprego pode ser um embaraço; a morte de um ente querido pode ser um embaraço; um relacionamento rompido, também. Cada passo que você tem que dar pode se tornar um grande empecilho e fazer de você uma pessoa derrotada, destruída. Mas agora preste atenção: você não é a única pessoa a enfrentar dificuldades na vida. No mundo inteiro as pessoas estão passando por crises financeiras, crises familiares, perseguições, problemas com a educação dos filhos, vestibulares, construções… E não apenas isso. O ser humano tem fraquezas, tem deficiências, com as quais se debate a todo momento e pode ser derrotado por elas. Ou não! As circunstâncias da vida, é certo, têm submergido milhões de pessoas na depressão, na amargura, no ressentimento, levando-as aos consultórios de psicoterapia, aos milagreiros… e até mesmo ao suicídio. Mas essas mesmas circunstâncias se têm convertido em oportunidades fascinantes de vitória para outro tanto de pessoas!

Qual é a causa disto? O que determina que uns sejam vencedores, enquanto outros fracassam nas mesmas situações? O livro sagrado dos cristãos, a Bíblia, tem a resposta para estas indagações. Vamos recorrer a esse livro, tido e crido como a Palavra de Deus por milhões de pessoas em toda a terra. Essa Palavra reivindica o poder de nos ensinar e corrigir. Leia comigo o que está escrito em Hebreus 12.1-3: “Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem”.

Deixe uma resposta