Vencendo a mentalidade carnal

Vencendo a mentalidade carnal
 
“Porque o pendor da carne dá para a morte, mas
o do Espírito, para a vida e paz”
(Romanos
8:6).
Uma das maiores ameaças ao bem-estar de qualquer
igreja local é a mentalidade carnal
que seus
membros podem ter. A mente carnal é a
“morte”; é “inimizade contra Deus”; “não está sujeito
à lei de Deus, nem mesmo pode estar”; “não pode agradar a Deus”

(Romanos 8:6-8).
É uma contradição
uma igreja alegar ser “de Cristo” quando as pessoas que a compõem têm
a mente carnal que não pode agradar a Deus!
A mente
carnal pode ser mais bem entendida se a compararmos à mente do Espírito. Aquele
que tem a mente espiritual tem consciência de Deus. E sempre vivendo dessa
forma, ele enxerga a Deus como um companheiro constante; alguém que observa
cada palavra, ato e pensamento; o doador de toda boa dádiva; aquele que o
protege de dia e de noite o guarda. Ele “anda com Deus”; agradece a
Deus; louva a Deus; confia em Deus; vê em Deus a fonte da força; ele
“pensa” em Deus ­ e faz tudo isso diariamente.
Em
contrapartida, a pessoa de mente carnal tem os pensamentos voltados sobretudo
para as coisas deste mundo, fazendo delas o maior interesse de sua vida. Ela
pensa em carros, roupas, barcos, esportes, aparelhos de som, dvds, venda de
ações, viagens e aposentadoria antes do tempo.
A pessoa de
mente espiritual fixa sua mente nas coisas de cima, ao passo que a de mente
carnal a põe nas coisas da terra (Cl 3:2).
A pessoa
que tem a mente espiritual realmente ama a leitura das Escrituras e a adoração
de Deus. Diante da opção de participar de um estudo bíblico em que estaria
cercado de pessoas que pertencem a Deus e da opção de ir a um lugar de
divertimento, em que estaria rodeado de gente mundana, sua preferência seria o
estudo. A pessoa de mente carnal, por outro lado, vai ao culto, mas o faz ou
por hábito ou simplesmente para atender às exigências. Acha pouco prazer na lei
do Senhor ou em adorá-lo.
A pessoa de
mente espiritual olha em direção ao céu e anseia estar lá. Alegra-se nesta
vida, mas a antecipação de ver a Deus e o seu Senhor Jesus freqüentemente toma
conta da sua mente e a estimula. À medida que envelhece e o homem exterior
mostra cada vez mais os sinais da degradação, seu homem interior encontra o
renovo diário por meio da fé aumentada e do desejo em relação àquilo que não se
vê. Para o homem de mente carnal, em contraposição, a velhice é uma ameaça; ele
busca inutilmente agarrar-se a sua mocidade; raramente pensa no céu, mas
praticamente entra em pânico ao ver que quanto mais ele tenta segurar com
tenacidade esta vida, mais ela lhe escapa das mãos, passo a passo.
A mente
carnal é Ananias e Safira, tramando para conseguir o louvor dos homens em cima
de uma mentira. A mente carnal é Diótrefes, amando a preeminência e governando
com uma atitude de “ou você se submete ou sai da minha frente”. A
mente carnal são os falsos mestres de Corinto, obtendo o controle por meio da
arrogância, das falsas comparações, das representações enganosas e da
escravidão de seus seguidores. A mente carnal são os próprios coríntios,
gloriando-se na sabedoria humana e demonstrando inveja, contendas e divisões. A
mente carnal são aqueles a quem Paulo escreveu: “Pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo
Jesus”
(Fl 2:21). A mente carnal é qualquer pessoa que vive para este
mundo e para a aprovação dos homens, em vez de viver para o céu e para a
aprovação de Deus.
Portanto,
não precisamos ser imorais, obviamente, para termos a mente carnal; tampouco
precisamos deixar de ir aos cultos ou de contribuir como nosso dinheiro.
Podemos ir a todo culto da igreja, levar uma vida de boa moral, dar com
liberalidade e ainda assim termos a mente carnal. Podemos até ser nomeados líder
­ líder de mente carnal, nomeados para aquela função por uma congregação de
mente carnal que fica cada vez mais carnal debaixo da influência de seus
pregadores e de seus líderes de mente carnal. Você acha isso exagerado. Não há
gente de mente mais carnal nas Escrituras que os fariseus religiosos, que
estavam cegos, sem poder enxergar a sua mentalidade carnal, porque buscavam
atender minuciosamente aos aspectos externos. Conhecemos poucos na igreja do
Senhor que não correm o risco sério de morte por causa desse mesmo erro.
O remédio
do Espírito para a mente carnal é: “E
não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa
mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de
Deus”
(Romanos 12:2). Renovação da mente! Transformação! Metamorfose!
Livrar a mente das disposições e dos interesses carnais, enchendo-a com as
disposições e os interesses espirituais! Essa é outra forma de dizer: “Habite, ricamente, em vós a palavra de
Cristo”
(Cl 3:16). Não é tarde demais. Deixe que ele te molde. A
felicidade eterna está em jogo.

Deixe um comentário