Livre-se da cadeia do ressentimento

LIVRE DA CADEIA DO RESSENTIMENTO

Texto: Hebreus 12:15  “Atentando, diligentemente, para que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados”.

Introdução: Estamos estudando as cadeias que podem prender nossa alma (emoções). Uma delas é o ressentimento. Ressentir é sentir novamente, é sofrer muitas vezes com o dano causado por alguém. Ele pode gerar doenças físicas, ódio e abrir brechas para a ação de demônios em nossa vida. O ressentimento é uma incapacidade de perdoar alguém que nos feriu e, muitas vezes, só pode ser curado por uma experiência com Deus. Vamos ver como Deus liberta do ressentimento, olhando para a vida de José, que foi traído e vendido como escravo por seus próprios irmãos (ler Gn 37:28). Depois de muitos anos de sofrimento, ele os encontra de novo e tem a oportunidade de ser liberto de todo ressentimento que prendia sua alma.

I – HÁ ALGUÉM POR TRÁS DAS PESSOAS QUE NOS FERIRAM

A)Há pessoas que nos ferem conscientemente Como os irmãos de José, há pessoas que nos ferem conscientemente, tendo a pretensão de nos prejudicar – Sl 27:12.

B)Há pessoas que nos ferem sem saber exatamente o que estão fazendo – Há pessoas nos ferem sem ter a consciência de todo o dano que nos causam. Muitas vezes são pessoas que nunca receberam nada de bom na vida e por isso não têm o que dar (pais, irmãos, etc…).

C)Satanás sempre está manipulando pessoas para trazer prejuízo às nossa vidas – Precisamos entender que, conscientes ou não, pessoas são usadas pelo diabo para nos ferir. Temos que canalizar nossa ira para Satanás e não para as pessoas. É ele que enche seus corações de maldade – Jo 13:2.

D)Deus espera que perdoemos a todos os que nos machucaram – Assim como fomos perdoados pela graça, Deus espera que perdoemos aqueles que nos ofenderam – Ef 4:32.

II – COMO PODEMOS SER LIVRES DO RESSENTIMENTO?

A)Temos que nos decidir pelo perdão e não pela mágoa – José poderia mandar prender ou até matar seus irmãos quando os encontrou e seria justo fazendo isto, mas ele decidiu-se pelo perdão porque queria se parecer com seu Deus – leia Ef 5:1,2.

B)Temos que enfrentar os sentimentos ruins do nosso coração (Gn 42:7-9) – Ao ver os irmãos que o traíram, José ficou confuso e sentimentos ruins brotaram de seu coração, mas ele lutou contra esses sentimentos e os venceu pelo poder de Deus.

C)Temos que quebrar as barreiras de ressentimento que nos separam de pessoas (Gn 45:4) – José buscou uma aproximação de seus irmãos, ainda que isso fosse difícil para ele. O ressentimento afasta as pessoas, mas Deus nos dá uma unção de reconciliação – Leia II Co 5:18.

D)Temos que ver a bondade de Deus acima da maldade das pessoas (Gn 45:5-7) – Quando colocamos o foco nas pessoas que nos ferem, fortalecemos o ressentimento. Devemos fazer como José, que focalizou a bondade de Deus para com sua vida e não a falha de seus irmãos.

E)Temos que abrir o coração para que o amor de Deus transborde em nossa vida para com aqueles que nos feriram (Gn 45:14,15) – José abraçou e chorou com seus irmãos e isso foi uma revelação da graça de Deus para eles. Somos curados e curamos outras pessoas quando nos abrimos para manifestar o amor do Pai.

F)Temos que ver a libertação do ressentimento como um testemunho para o mundo (Gn 45:16) – A atitude de José foi um testemunho para Faraó e seus servos, que não conheciam a Deus. Temos que ganhar este entendimento: se perdoamos nossos devedores, manifestamos a graça de Deus. Se, porém, vivemos ressentidos, nosso testemunho diante do mundo não terá poder.           

Conclusão: Deus também poderia ficar ressentido conosco, pois nos desviamos dEle e lhe voltamos as costas, mas Ele nos oferece o perdão através da cruz de Cristo. Quer receber este perdão?

Deixe um comentário